Novos compostos com potencial anti-chagásico

novos compostos com potencial anti chagasico

seg, 13 jan 2014

Publicado por

A doença de Chagas afeta milhões de pessoas na América Latina, constituindo um sério problema de saúde pública no Brasil . Os fármacos disponíveis atualmente são pouco eficazes e causam efeitos colaterais severos, o que gera uma demanda urgente por novos medicamentos mais eficientes e seguros.  A via glicolítica, única fonte de energia do protozoário Trypanosoma cruzi, o agente causador da doença de Chagas, é uma das vias bioquímicas mais atraentes para o desenho de novas moléculas capazes de interromper a reprodução do parasita. Em artigo publicado na revista Future Medicinal Chemistry,  pesquisadores do Laboratório de Química Medicinal e Computacional do Instituto de Física de São Carlos, utilizaram a enzima gliceraldeído-3-fosfato desidrogenase de T. cruzi (TcGAPDH) como alvo molecular para a descoberta de novos inibidores.

A estratégia empregada no trabalho envolveu a integração de vários métodos computacionais e experimentais de química medicinal. Através da formulação de um modelo farmacofórico baseado na estrutura da enzima e de triagens virtuais realizadas em bases virtuais que contêm milhões de moléculas, foram identificados três compostos de diferentes classes químicas, com atividade sobre a TcGAPDH. Os inibidores mostraram valores de IC50 (concentração de inibidor necessária para inibir 50% da  atividade enzimática) na faixa de concentração micromolar. As novas classes químicas identificadas constituem padrões estruturais promissores a serem explorados em futuros trabalhos de otimização molecular para o desenvolvimento de novos compostos-líderes contra a doença de Chagas.

Artigo científico:

MALUF, F. V.; ANDRICOPULO, A. D; OLIVA, G.; GUIDO, R. V. C.  A pharmacophore- based virtual screening approach for the discovery of Trypanosoma cruzi GAPDH inhibitors. Future Medicinal Chemistry, v. 5, n. 17, p. 2019–2035, 2013.

Compartilhe...
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+

0 Comentários